Arsenal de Guerra do Rio
MUSEU DO ARSENAL DE GUERRA DO RIO

     Empenhado na preservação de seu passado, o Arsenal de Guerra do Rio mantém um museu onde estão expostos diversos testemunhos de sua história como uma das mais antigas instituições militares em ininterrupta atividade, desde sua criaçõo, em 1762, como Casa do Trem.

     O atual espaço dedicado à memória do AGR foi reestruturado em abril de 1995 e localiza-se no 4° andar do edifício central do Arsenal de Guerra do Rio. É composto por duas salas de exposição, onde estão a mostra suas coleções de artefatos histórico-militares.

Alguns dos artefatos histórico-militares

     Sua origem remonta à época do Império, quando a organização era chamada de Arsenal de Guerra da Corte e funcionava na Ponta do Calabouço. Em suas instalações, no período de 1865 a 1902, funcionou o Museu Militar, um dos primeiros museus históricos do Brasil e o principal antecedente do Museu Histórico Nacional e do atual espaço de memória do AGR.

     O Museu Militar tinha por objetivos melhorar a preparação dos Oficiais e favorecer a cristalização de um espírito de corpo. Armazenava e expunha objetos que representavam as lutas travadas pelo Exército, bem como relíquias e troféus de guerra, compreendidos como símbolos de resistência e da construção de um Estado Nacional.

     Em 19 de dezembro de 1865, foi baixada Portaria contendo as instruções regulamentares para a criação do Museu Militar:

     Art. 1° - haverá no Arsenal da Corte uma ou mais salas onde serão depositados:

  1. as armas de todas as espécies, notáveis por quaisquer circunstância ou por sua antigüidade e singularidade de fabrico, ou terem sido tomadas ao inimigo, troféus e relíquias;
  2. reparos, viaturas, bocas de fogo, projéteis e instrumentos de artilharia, de qualquer calibre ou espécie, também notáveis pelas circunstâncias acima referidas;
  3. equipamentos e outros objetos notáveis por sua antigüidade ou pelos fatos que comemoram;
  4. modelo ou amostras de armamento, equipamentos e objetos de qualquer espécie de uso dos exércitos estrangeiros, invenções e melhoramentos.
Acervo do Museu Acervo do Museu Acervo do Museu

     Mais de um século mais tarde, com a transferência do então Arsenal da República da Ponta do Calabouço para o bairro do Caju, o Museu foi fechado, permanecendo seu acervo no antigo prédio por mais de 20 anos. Por ocasião das comemorações do Centenário da Independência, em 1922, viu-se a necessidade da criação de um museu que representasse a história nacional e, assim, boa parte do acervo pertencente ao antigo Museu Militar foi transferido para o recém criado Museu Histórico Nacional, instalado nas antigas dependências do Arsenal de Guerra, na região do Calabouço.

     O acervo remanescente permaneceu encaixotado por mais de 60 anos e foi resgatado na década de 1960, sendo parte dele destinada ao Museu Histórico do Exército e parte empregada na recriação, em 1961, do Museu do AGR, o qual foi reestruturado em 1995, assumindo as atuais instalações e feições.




Voltar ao topo

Av. Monsenhor Manoel Gomes, 563 - Caju - Cep 20931-670
Rio de Janeiro - RJ - (021) 2580-1668

* Página aprovada no BI/DCT Nº 126, de 12 Nov 08.